ISAVIÇOSA Blog

Relato da 2ª fase do AmaGaia

Após um necessário “respiro”, com grande alegria compartilhamos o relato sobre as dimensões Ecológica e Visão de Mundo, vivenciadas na segunda fase do AmaGaia – Educação para o Design de Ecovilas na FLONA do Purus, Amazônia, que aconteceu entre 25 de maio e 9 de junho último.   

O grupo continuou animado e diverso!  Nesta fase, particparam 109 pessoas, dos 14 aos 79 anos, de diferentes comunidades da região:  Vila Céu do Mapiá, Igarapé Mapiá, Comunidade São Sebastião, Reserva Extrativista Arapixi, Terra Indígena Kamicuã (povo Apurinã), representantes do ICMBio.

Com a presença dos educadores May East (Gaia Education e CIFAL-Scotland), Skye (UniGaia), Gabriela Mendes (TAIPA Arquitetura), Felipe Simas (ISAVIÇOSA), Pedro Christo (ISAVIÇOSA), Suyá Presta (Terra Una), Ana Carolina Simas (UFV), Gabriela Monteiro (Terra Una), e José Pacheco (Escola da Ponte, Portugal;  e Projeto Âncora, SP), junto com lideranças da comunidade anfitriã – Alfredo Gregório de Melo, Alex Polari de Alverga, Maria Alice Campos Freire, Clara Iura e Isabel Barsé –, o grupo se dedicou aos temas: transição para a sustentabilidade, feminino e masculino, design integrado para a sustentabilidade, permacultura, construções ecológicas, tecnologias apropriadas (energia, água e resíduos), produção de alimentos, espiritualidade socialmente engajada, reconexão com a natureza, visão holística, saúde e cura, e educação e inclusão.

 May East treinou o grupo nos métodos participativos utilizados no movimento das Cidades em Transição (Transition Towns), e facilitou uma vivência e diálogo entre mulheres e homens.  



Skye compartilhou sua vasta experiência com a Permacultura e outros assuntos na dimensão ecológica.


Relato da 2ª fase do AmaGaia   Relato da 2ª fase do AmaGaia
Nos temas ligados à produção de alimentos, construções e energia, foram realizadas sessões abertas nas quais moradores da comunidade foram convidados a participar e contribuir com os saberes locais.  

 Na dimensão Visão de Mundo, membros da comunidade anfitriã facilitaram sessões em que o grupo pôde fortalecer a memória de anos de experiências vivendo na floresta, em profunda conexão espiritual com a natureza.  


Alfredo Gregório de Melo, filho do fundador da Vila Céu do Mapiá, compartilhou a visão espiritual que mantém a comunidade unida. 


O educador José Pacheco, criador da Escola da Ponte, em Portugal, concluiu esta dimensão contando sua maravilhosa experiência na aplicação de uma visão inovadora e emancipadora de educação.  Neste dia, o círculo foi ampliado com a participação dos professores e estudantes da Escola Estadual Cruzeiro do Céu.



Em todas as dimensões, enfatizou-se a conexão entre os temas compartilhados e o Plano de Manejo da Floresta Nacional do Purus.  Durante a semana ecológica, Flavio Paim, analista ambiental do ICMBio, fez uma exposição ampla do Plano.


Como principal resultado do AmaGaia, foram criados pelos participantes oito grupos de trabalho (a partir dos grupos de estudo de caso, ou “Vilas”, desenvolvidos durante o curso), que sonharam e planejaram ações para a implementação de soluções adequadas para a sustentabilidade nas comunidades locais.  São eles:  Cultura e celebração; Educação; Saúde e cura; Geração de renda; Produção de alimentos; Governança; Comunidade São Sebastião; e FLONA do Purus.Com o apoio dos educadores e facilitadores, os participantes aplicaram à criação de projetos o conhecimento construído e compartilhado durante o programa.  Para isso, produziram, através da metodologia do Dragon Dreaming, um plano de ações para a continuidade e aplicação dos aprendizados!






Concluída tese sobre comunicação colaborativa na FLONA do Purus


Concluída tese sobre comunicação colaborativa na FLONA do Purus
Oficina para compartilhar ferramentas de comunicação colaborativa. 

No último dia 10 de julho, na Escola de Comunicação da UFRJ, aconteceu a defesa da tese de doutorado 'Comunicação e Diferença: estudos em comunicação colaborativa para a sustentabilidade comunitária', de autoria de Ana Carolina Beer Simas, orientada pelo Prof. Dr. Marcio Tavares d'Amaral.  
A tese é resultado da pesquisa-ação desenvolvida na Floresta Nacional do Purus, na Amazônia, entre 2010 a 2013.  O trabalho foi apoiado pelo ISAVIÇOSA, e aconteceu através da formação de uma comunidade de aprendizagem e prática, o ECOS da Floresta (Estudos de Comunicação para a Sustentabilidade).  Os participantes - cerca de 40 moradores da Vila Céu do Mapiá, na FLONA do Purus - compartilharam processos e ferramentas de comunicação colaborativa, em seis oficinas participativas.  

Concluída tese sobre comunicação colaborativa na FLONA do Purus
Grupo trabalha em oficina de comunicação
Concluída tese sobre comunicação colaborativa na FLONA do Purus
ECOS da Floresta - comunidade de aprendizagem e prática 
O objetivo foi formar agentes de comunicação comunitária para a sustentabilidade.  O principal resultado foi a mobilização da comunidade para organizar e anfitriar o programa AmaGaia - Educação para o Desenvolvimento de Ecovilas na FLONA do Purus e região - versão amazônica certificada do currículo EDE (Ecovillage Design Education), da organização internacional Gaia Education, cujo currículo é uma contribuição oficial para a Década de Educação para o Desenvolvimento Sustentável, da UNESCO.  






Alunos da UFV visitam Microbacia Escola


No dia 10 de julho último, alunos da UFV dos cursos de Engenharia Florestal, Biologia, Engenharia Ambiental, Geografia e Agronomia visitaram a Microbacia Escola, localizada na sede rural do ISAVIÇOSA,  para uma aula sobre APA (Área de Proteção Ambiental). A visita foi uma aula de campo, da disciplina Unidades de Conservação. Os alunos foram acompanhados pelo Professor Gumercindo Souza Lima, responsável pela disciplina.
No sítio, os alunos visitantes foram guiados pelo engenheiro agrônomo, MsC em Botânica,  Aianã dos Santos Pereira, membro do ISAVIÇOSA e morador do local. Eles visitaram as nascentes mais altas do Rio São Bartolomeu e puderam conhecer o trabalho de recuperação feito e também a maneira de ocupação e uso da área, de forma mais sustentável, que os moradores praticam.


Aprovado Plano de Manejo Florestal Sustentável da Vila Céu do Mapiá



O Instituto Chico Mendes para Conservação da Biodiversidade, ICMBio, aprovou o Plano de Manejo Florestal Sustentável Comunitário da Vila Céu do Mapiá, Floresta Nacional do Purus-AM, no último mês de abril.  No dia 2 de julho de 2013, publicou a Autorização de Exploração (AUTEX) para a primeira Unidade de Produção Anual - UPA 1 do Plano.
“Com a publicação da AUTEX, agora podemos dar início às atividades”, esclarece o engenheiro florestal Pedro Christo Brandão, responsável técnico pelo Plano de Manejo.
O processo de elaboração deste Plano de Manejo Florestal Sustentável (PMFS) teve início em 2007, quando foi realizado o primeiro inventário florestal na área destinada ao Manejo Florestal nos arredores da Vila Céu do Mapiá, maior centro populacional da FLONA do Purus, com cerca de 600 moradores.
Os inventários foram concluídos em 2009 e o PMFS foi protocolado no ICMBio em dezembro de 2010. Foram mais de dois anos de espera pela aprovação do Plano e autorização para início do manejo. Este PMFS é resultado do trabalho de Doutorado do engenheiro florestal Pedro Christo Brandão e foi construído em parceria com a Associação de Moradores da Vila Céu do Mapiá (AMVCM) e o grupo de manejadores da vila.
“Esta aprovação possui significado histórico no manejo florestal sustentável na Amazônia”, destaca Felipe Simas, engenheiro agrônomo, diretor executivo do Instituto Socioambiental de Viçosa (ISAVIÇOSA), do qual Pedro Christo também é diretor. A equipe do ISAVIÇOSA, desde 2003, dá apoio técnico à implementação de diversas atividades desenvolvidas na FLONA do Purus, incluindo o Plano de Manejo Florestal.
“A Vila Céu do Mapiá é uma das primeiras unidades de conservação a ter um Manejo Florestal Comunitário. Este aspecto comunitário é um dos grandes diferenciais deste Plano de Manejo, uma vez que a exploração em FLONAs (Florestas Nacionais) tem sido predominantemente empresarial”, ressalta Pedro Christo.

Entenda a importância da aprovação do Plano de Manejo Florestal Sustentável Comunitário da Vila Céu do Mapiá:

Para a comunidade – Para a Vila Céu do Mapiá, a aprovação do plano é de fundamental importância, pois legaliza, regulariza e ordena a atividade florestal local, em especial a exploração madeireira.
O objetivo principal do plano de manejo é a exploração sustentável de produtos madeireiros e não madeireiros em uma área determinada, de aproximadamente mil hectares, localizada na Zona de Uso Comunitário da Vila Céu do Mapiá.
A ideia dos manejadores é implantar uma serraria com equipamentos que permitam melhorar o rendimento no desdobro da madeira, substituir o uso de motosserra que gera grande desperdício, e agregar valor ao beneficiamento, de forma que possam produzir todas as peças necessárias para construção civil e outras benfeitorias, e não precisem mais trazer madeira de serrarias de cidades vizinhas, oriundas de exploração ilegal.
O Plano de Manejo Florestal, além de ordenar a atividade madeireira - o que é um grande benefício para as gerações futuras da comunidade, pois garante a renovação do estoque de madeira - traz também a possibilidade de geração de renda na comunidade e circulação interna de recursos.
Para a FLONA do Purus e entorno - A expectativa é de que a realização do Plano reflita positivamente em toda a FLONA do Purus e no entorno, já que essa é a única exploração de madeira legalizada no extremo Sul do Amazonas  O Plano de Manejo Florestal servirá como referência, como projeto piloto para outras comunidades da floresta, incentivando a adoção das práticas do manejo florestal na região em detrimento da exploração desordenada da floresta e de outras práticas nocivas ao ecossistema amazônico, como a substituição da floresta por pastagens visando a criação de gado. Vale ressaltar que Boca do Acre, município vizinho à FLONA do Purus, possui o maior rebanho bovino no Estado do Amazonas.

Para a política florestal do país -  este é o primeiro Plano de Manejo Florestal Sustentável Comunitário aprovado pelo ICMBio em uma Floresta Nacional, dentro da regulamentação da Instrução Normativa 16/2011. Constitui experiência modelo que poderá ser replicada para outras Florestas Nacionais e Unidades de Conservação do país.


AmaGaia - EDE na Amazônia

AmaGaia - EDE na Amazônia
Vila Céu do Mapiá
 O AmaGaia, primeiro curso EDE (Educação  para Design de Ecovilas) realizado na Amazônia brasileira, terminou em 9 de junho último e contou com mais de 100 participantes, vindos de diversas comunidades da floresta. A inspiração para realização deste extraordinário EDE veio do reconhecimento de que a disseminação das estratégias das ecovilas pode ter um efeito positivo na melhoria da qualidade de vida das populações que vivem em áreas isoladas e, ao mesmo tempo, aumentar a resiliência dessas comunidades no atual mundo globalizado.

O AmaGaia – Educação para o Desenvolvimento de Ecovilas na  Floresta Nacional do Purus, Amazonas - foi criado a partir das reais necessidades daqueles que vivem na FLONA do Purus, levantadas durante um longo processo de contato com as comunidades locais e encontros entre os membros da equipe organizadora e representantes dessas comunidades. O AmaGaia foi organizado e administrado pelo Instituto Socioambiental de Viçosa e foi coordenado por Ana Carolina Simas e Felipe Simas, membros do instituto. 


O AmaGaia foi oferecido aos habitantes da Floresta Nacional do Purus (FLONA do Purus), uma área protegida (Unidade de Conservação) do município de Pauini, Estado do Amazonas, com grande extensão de floresta bem preservada (256 mil hectares), onde residem aproximadamente mil pessoas, em diferentes comunidades e colocações ao longo de rios e igarapés. Os participantes tinham idade entre 14 e 79 anos. A presença de líderes de várias comunidades da floresta, inclusive de comunidades indígenas, e de representantes de instituições federais que trabalham na região, enriqueceu a diversidade do grupo e aumentou as possibilidades de multiplicação dos efeitos positivos deste EDE para a região e de incorporação da estratégia das ecovilas em políticas públicas. AmaGaia - EDE na Amazônia A roda do AmaGaia

O AmaGaia foi realizado na Vila Céu do Mapiá, uma comunidade intencional, onde vivem mais de 600 pessoas. A Vila Céu do Mapiá, maior núcleo populacional da FLONA do Purus, foi fundada por Sebastião Mota de Melo (Padrinho Sebastião) e é unida pelo uso ritual da Ayahuasca.

Para que o sonho de realização do AmaGaia se tornasse realidade vários desafios foram enfrentados, principalmente pelo grande isolamento da área, que só tem acesso por via fluvial, em barcos pequenos e canoas, depois de dois dias de viagem partindo de Rio Branco, capital do Acre. Isto impôs altos custos de logística e comunicação lenta e difícil. Para cobrir os custos do curso e possibilitar o EDE gratuito à população local, muitos facilitadores e educadores trabalharam voluntariamente e a maioria deles arcaram com suas próprias passagens aéreas. Doadores e apoiadores incluíram Gaia Trust, Projeto de Agrofloresta da Cachoeira Associação dos Moradores da Vila Céu do Mapiá, ICMBio, IIEB, ONG Floresta Project, Foundation for the Healing Forces of the Amazon, juntamente com a doação individual de várias pessoas. Nós estamos profundamente agradecidos por todo esse apoio!
AmaGaia - EDE na Amazônia
Participantes do AmGaia

A primeira fase do AmaGaia aconteceu de 17 de fevereiro a 3 de março. Foram trabalhadas as dimensões Social e Econômica. O educador chave da primeira fase foi John Croft. Assistido por Felipe Simas, John apresentou aos participantes do curso o Dragon Dreaming, metodologia para elaboração de projetos, e abriu a dimensão econômica dando um panorama do mundo atual. A dimensão econômica foi concluída por Taisa Mattos, da Ecovila de Terra Una, e Felipe Bannitz da Fundação Getúlio Vargas.AmaGaia - EDE na Amazônia John Croft na dimensão social
Taisa Mattos (Terra Una – Rio de Janeiro), Edite Fanganello Querer (Instituto Nhandecy – Curitiba) e Ana Carolina Simas (Universidade Federal de Viçosa) facilitaram sessões de:  tomada de decisão, liderança, comunicação não-violenta e de facilitação de conselhos e rodas.
    
A segunda fase do AmaGaia aconteceu de 26 de maio a 9 de junho e englobou as dimensões Ecológica e Visão de Mundo. AmaGaia - EDE na Amazônia AmaGaia em roda com May East Nesta fase, o AmaGaia contou com a presença inspiradora de May East,  treinando o grupo nos métodos participativos do Cidades em Transição (Transition Towns).

Durante a dimensão Visão de Mundo, membros da comunidade (Alex Polari, Maria Alice Freire, Clara Iura e Isabel Barse) facilitaram módulos onde a própria comunidade pode resgatar anos de experiências vivendo na
floresta, em profunda conexão espiritual com a natureza e com a cura natural e espiritual. Ana Carolina Simas e Gabriela Monteiro também ministraram sessões abordando visão de mundo holística e a cura pessoal e planetária. Alfredo Gregório de Melo, filho do fundador da Vila Céu do Mapiá e atual líder espiritual da tradição AmaGaia - EDE na Amazônia Padrinho Alfredodo Santo Daime em todo o mundo, compartilhou a visão espiritual que mantém a comunidade unida.
A dimensão Visão de Mundo teve a participação especial do educador português José Pacheco, fundador da Escola da Ponte. José Pacheco compartilhou sua maravilhosa experiência em educação e o conceito de que escolas são feitas de pessoas e não de prédios, salas de aula e séries.

Na dimensão Ecológica , os princípios da permacultura e da ética foram carismaticamente expostos por Skye – australiano, especialista em permacultura, que vive no Brasil há mais de 12 anos. Gabriela Mendes e Pedro Christo também facilitaram módulos nesta dimensão. 

Nós reconhecemos os facilitadores e apoiadores por sua dedicação, habilidades e compromisso com este projeto: Pedro Mendes, Alice Alfano, Raquel Poti, Gabriela Monteiro, Felipe Senna, Sebastião Aram, Tatiana Reis, Suya Presta, Jessica Hollaender, Pedro Christo, Miguel Ferraz, Sarah Santanna, Matheus Sibinelli, Luciane Frederico, Felipe Simas, Ana Carolina Simas.
AmaGaia - EDE na Amazônia
Equipe AmaGaia


Se você tem interesse em colaborar com a continuidade deste projeto, gentileza entrar em contato através do email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Para mais informações sobre o AmaGaia, visite: http://www.amagaia2013.blogspot.com.br/

Para ver mais fotos do AmaGaia, acesse: